Arquivo da tag: extremamente fácil

O bife no forno que funcionou

Então, gente. Faz tempo. Mas já viu. Estamos planejando nossa casa nova (com uma cozinha decente!!!) e demorou. Mas voltei com o compromisso de atualizar o blog no mínimo 3 vezes por semana.

Agora eu conto que refiz o bife no forno (detesto fritura e grelhar em csa com roupa no varal simplesmente não dá). Usei a mesma carne. O segredo? Tchân!Tchân! O livro do Jaime Olive.

Ele tem um capítulo que fala “carne assada maravilhosa”. Eu fiz como ele disse. Deu certo. Aí vai o segredo: ligue o forno suuuuuupppeerr quente, tipo 250 graus. Coloque os bifes e imediatamente baixe para 200 graus. FUNCIONA! Assei por 20 min.

Na assadeira eu coloquei um filete de azeite e sobre os bifes e cebola ralada. Bastante cebola ralada. O sal você coloca depois de assado, porque o sal tira a água da carne e a deixa seca.

Ficou muuito bom. Aprovadíssimo pelo maridão.

Este é o bife. Sobre ele é cebola ralada mesmo. E do lado a "farofa de banana". Foto ruim, mas prato delícia

Para acompanhar, fiz uma farofa de banana parecida com a que minha sogra fazia: margarina na panela para refogar os temperos a gosto (cebola, alho, sal, salsinha…). Jogo uma banana nanica ou terra em pedaços e deixo amolecer um pouco.

Acrescendo farinha de milho o suficiente para ficar pastosa. E um tiquinho de leite gelado.

Total: 30 min.

Anúncios

Duas massas prá já

Na minha opinião, o prato mais záz-tráz que existe é a massa. Seja seca (tipo espagueti, talharini) ou fresca (tipo nhoc), ou recheada, é a opção número 1 quando estou morrendo de pressa.

Só que macarrão e molho vermelho ou macarrão al alho e azeite toda hora cansa. Então, criei duas variações.

A primeira foi porque eu não queria cozinhar molho vermelho, pois iria sujar o meu fogão (e, óbvio, eu teria que limpar). Fiz o seguinte:

1. Spaguetti (tô variando a forma de escrever para parecer chique) na panela (cozimento em 11 min, segundo a caixa)

2. Azeite na outra panela + cebola + manjericão (um pouco fresco e um pouco do pacotinho) + queijo ralado. Achei fraquinho meu “pseudo-pesto” e coloquei ervilhas.

3. Spaguetti no molho e pronto!!!

Pseudo pesto porque eu não como nozes

Taí a foto. Aprovadão e em 15 min.

O segundo já deu um pouco mais de trabalho. Gastei todos os 40 minutos com o maridão na jugular, morrendo de fome.

O que ocupou os meus preciosos minutos foi tirar aquela coisa pretinha de dentro do camarão. Aquilo, segundo minha sábia mãe, é o intestino do camarão (se é que camarão tem isso), onde ficam os resíduos da comida que ele ingere.  Para quem não sabe, o camarão é o lixeiro do mar. Então, eu não dou para ninguém comer camarão com aquela coisinha preta.

Depois de limpar, foi para a panela ser refogado com azeite e aquele tempero caseiro (ver posts anteriores). Coloquei um pouco de molho de tomate, açúcar e queijo requeijão (aquele de potinho para passar no pão). Ficou parecendo o recheio que eu faço para colocar dentro da moranga, quando cozinho o camarão na moranga.

Fiz com macarrão rigattoni para o camarão entrar no canudinho da massa

Olha só a carinha dele. Aliás, o gosto ficou melhor que a foto.

Essa é a coisinha preta do camarão (intestino). No site http://cliqueagosto.pop.com.br mostra como limpar