Arquivo da tag: fácil

Papinha prá não botar defeito

Como o tempo passa! Frase feita, mas real. Quando comecei esse blog, meu bebê só mamava no peito. Ele passou para mamadeira, entrou nas papinhas e agora começou a comer comida normal, conosco na mesa.

Deixo de fazer as papinhas. Ou melhor, passo a fazê-las quando der vontade – no bebê, em mim ou no maridão.

Mas aqui vão algumas formas de fazer papinhas deliciosas em 40 minutos:

1. Se você é como eu e não conhece batata doce, NÃO use. A papinha fica puxa-puxa, meio grudenta no céu a boca do bebê.

2. Faço as misturas numa panela normal, deixo cozinhar em fogo médio e vou acrescentando água até os legumes ficarem cozidos. Não uso panela de pressão, pois fica com muito caldo e sem sabor

3. Quase não uso sal.

Receita básica é assim: 1/2 cebola picada; 1/2 tomate picado (se der para tirar a casca, melhor); 100 grs de carne moída ou de frango picado (eu adotei carne orgânica para o bebê); um punhado de arroz ou de macarrão (o arroz cozinha junto com tudo. O macarrão você coloca quando faltar 10 min para desligar o fogo); três tipos de legumes e um tipo de verdura

Eu faço o seguinte:

a. Cebola na panela. Azeite por cima e uma pitada de sal. Refogo a cebola até ficar transparente em fogo alto. Jogo o tomate e deixo ele derreter ainda no fogo alto.

b. Coloco a carne ou o frango e refogo bem. Mudo para um fogo médio

c. Jogo o arroz e refogo mais um pouco. Todo esse processo dura mais ou menos 7 minutos

Antes de ligar o fogo, tem que descascar e picar os legumes e picar o vegetal. Quanto? Olha, depende de quanta comida você quer fazer. Eu penso assim:

1. Três batatas pequenas + uma cenoura grande + 1/2 beterraba / Quatro mandioquinhas + uma beterraba + meia abobrinha

Voltando à receita:

d. Coloco os legumes e os vegetais. Misturo e tampo por um minutinho

e. Em seguida, jogo a água e deixo ferver – Mais 20 minutos

f. Legumes cozidos, tiro a papinha e passo no liquidificador. Prontinho!

Constatações: a beterraba e o espinafre sempre predominam sobre todo o resto. Use em menor quantidade. O alface não tem gosto cozido, então é melhor lavar bem e bater cru com a papinha. Batata doce deixa a papinha puxa-puxa. Ervilha torta deixa uns fiapinhos que podem engasgar. Abóbrinha paulista pode ir com casca. Abóbora tipo moranga fica super gostosa. Fica legal colocar 1/2 maçã às vezes. Inhame, cará também dão um sabor especial. Criatividade manda. Varie as misturas de legumes e de verduras.

O risoto delícia que o maridão anunciou no twitter

Fazer risoto tem aquela aura de comida chic de restaurante que só os cheffs conseguem fazer.

Minha mãe chamava de risoto aquele arroz primavera, com legumes, super sequinho. O dia que eu pedi um risoto no restaurante e veio aquela coisa pastosa…Ai! Pensei que estava tudo errado. No final, eu que era suburbana mesmo.

Bom, risoto não tem segredo e é rápido. 25/30 min no máximo. O único problema é que vc tem que ficar com ele o tempo todo, do ladinho, mexendo como as avós mexiam o tacho de doce.

Risoto rosadinho por causa do vinho tinto. Sou péssima fotógrafa...

Este risoto foi sugestão do maridão que havia experimentado no Sweet Pimenta: com banana terra e queijo minas.

Primeira coisa: se você não tem aquele arroz de risoto em casa, pode ser o arroz comum mesmo, tipo Agulhinha. Use sem lavar e no final da preparação acrescente duas colheres de sopa bem cheias de creme de leite. Poucos notarão a diferença.

Na panela, manteiga ou margarina (não coloco a quantidade porque depende do tanto de comida que você vai fazer). Mas pense em algo generoso para o risoto (digamos duas colheradas de sopa para uma xícara de arroz). Refogue ali o tempero. Eu, como sempre, uso o tempero pronto da Cia das Índias e acrescento cebola ralada.

Jogue o arroz e apartir desse ponto, você não vai mais se afastar da panela. No arroz refogado despeje meia xícara de vinho branco. Não tem branco? Usa tinto mesmo, desde que não seja doce. Heresia? Bobagem! Heresia é ficar sem fazer o prato porque na sua casa só sobra aquele fundinho de vinho tinto.

Depois que o álcool do vinho evaporar, junte duas ou três (depende do gosto) de banana terra em rodelas. Cubra com água e vá mexendo essa mistura. Conforme a água der uma secada, junte cubos de queijo minas (ele deve derreter com a fervura).

Mexa sempre. Se a água secar e o arroz estiver duro, ponha mais um pouquinho e de pouco em pouco, seu risoto deve ficar pronto em 20 min.

Sirva direto com queijo ralado em cima. Se demorar, o risoto gruda e fica uma pastchola.

O maridão disse que no Sweet Pimenta, eles colocam o queijo minas bem no final e não deixam os cubos derreterem. Mas ele gostou mais do jeito que eu fiz.

Esse ficou muito bom mesmo. Bebemos com vinho (cujo resto ficou para temperar uma carne).

Risoto sempre vale à pena. A partir da receita original, troque os ingrediente e vá testando. Difícil dar errado. Já fiz de salmão com manga, de gorgonzola com figo, de shitaque com gorgonzola, quatro queijos e por aí vai.

Duas massas prá já

Na minha opinião, o prato mais záz-tráz que existe é a massa. Seja seca (tipo espagueti, talharini) ou fresca (tipo nhoc), ou recheada, é a opção número 1 quando estou morrendo de pressa.

Só que macarrão e molho vermelho ou macarrão al alho e azeite toda hora cansa. Então, criei duas variações.

A primeira foi porque eu não queria cozinhar molho vermelho, pois iria sujar o meu fogão (e, óbvio, eu teria que limpar). Fiz o seguinte:

1. Spaguetti (tô variando a forma de escrever para parecer chique) na panela (cozimento em 11 min, segundo a caixa)

2. Azeite na outra panela + cebola + manjericão (um pouco fresco e um pouco do pacotinho) + queijo ralado. Achei fraquinho meu “pseudo-pesto” e coloquei ervilhas.

3. Spaguetti no molho e pronto!!!

Pseudo pesto porque eu não como nozes

Taí a foto. Aprovadão e em 15 min.

O segundo já deu um pouco mais de trabalho. Gastei todos os 40 minutos com o maridão na jugular, morrendo de fome.

O que ocupou os meus preciosos minutos foi tirar aquela coisa pretinha de dentro do camarão. Aquilo, segundo minha sábia mãe, é o intestino do camarão (se é que camarão tem isso), onde ficam os resíduos da comida que ele ingere.  Para quem não sabe, o camarão é o lixeiro do mar. Então, eu não dou para ninguém comer camarão com aquela coisinha preta.

Depois de limpar, foi para a panela ser refogado com azeite e aquele tempero caseiro (ver posts anteriores). Coloquei um pouco de molho de tomate, açúcar e queijo requeijão (aquele de potinho para passar no pão). Ficou parecendo o recheio que eu faço para colocar dentro da moranga, quando cozinho o camarão na moranga.

Fiz com macarrão rigattoni para o camarão entrar no canudinho da massa

Olha só a carinha dele. Aliás, o gosto ficou melhor que a foto.

Essa é a coisinha preta do camarão (intestino). No site http://cliqueagosto.pop.com.br mostra como limpar